Sopa de abóbora

sopa-abobora-gorgonzolaPara quem está com um pé na dieta, uma sopa sempre vai bem. Esta é levinha, feita com abóbora e caldo caseiro de peixe, o tradicional fumet.

Sirva com um fio de azeite extravirgem e pedacinhos de gorgonzola.

SOPA DE ABÓBORA COM CALDO DE PEIXE
Rendimento: 4 porções

Caldo de peixe
1 espinha de robalo (com cabeça)
1/2 xícara (chá) de vinho branco seco (usei um Sauvignon Blanc chileno)
1/2 alho-poró picado
1 talo de erva-doce picado
1 cenoura grande picada
1/2 cebola picada
1 ramo de salsinha
1 ramo de cebolinha-verde
1 ramo de tomilho fresco
2 dentes pequenos de alho, inteiros e descascados
7 grãos de pimenta-do-reino
1 folha de louro
1 fio de azeite de oliva
Água quanto baste

Numa panela grande, aqueça o azeite e frite a espinha e a cabeça do peixe (já bem lavados) até ficarem cozidas. Adicione o vinho, mexa bem e mantenha no fogo até o álcool evaporar. Acrescente a cebola, frite mais um pouco e junte o restante dos ingredientes, menos a água. Deixe cozinhar por 5 minutos e então cubra tudo com água fria. Mantenha em fogo alto até ferver, retirando as impurezas que se formam na superfície. Quando ferver, abaixe o fogo, tampe e cozinhe por 30 minutos. Depois disso, escorra cuidadosamente numa peneira metálica ou chinois e reserve o caldo.

Eu já tinha fatias de abóbora cabotchã assadas com manteiga e louro, então o que fiz foi retirar as cascas das fatias e amassar a polpa. Cortei mais 1/2 alho-poró em rodelas e fritei as fatias em 1 colher (sopa) de manteiga. Quando estavam começando a pegar cor, juntei as abóboras amassadas, misturei bem e temperei com sal e pimenta. Acrescentei uma parte do caldo quente de peixe e deixei ferver. Quando ferveu, abaixei o fogo, tampei e deixei cozinhar por 35 minutos. Se preferir uma sopa mais cremosa, pode deixar mais tempo no fogo, para apurar. Confira o sal e a pimenta e sirva com fatias de pão tostado e um fio generoso de azeite de oliva extravirgem.

Salada grega

acropoles-salada600

Salada grega é o jantar ideal para quem busca uma refeição leve. Só precisa achar um bom queijo feta para compor o prato – sem ele, a saladinha perde toda a graça. Se não encontrar de jeito nenhum (ou se o preço estiver proibitivo), substitua por um meia-cura brasileiro de qualidade. Também agrada bastante.

SALADA GREGA
Rendimento: 2 porções

Folhas de alface limpas e secas
1 pepino japonês (com ou sem casca)
2 tomates bem maduros, mas firmes
Azeitonas pretas gordas
1 fatia generosa de queijo feta
Vinagrete feito com suco de limão, azeite extravirgem, sal e pimenta-do-reino moída na hora

O modo de preparo é o mais simples do mundo: rasgue as folhas de alface com as mãos, corte o pepino e os tomates em cubos, misture as azeitonas e o queijo feta também cortado em cubos. Para preparar o molho vinagrete, misture suco de limão com sal e pimenta e adicione o azeite em fio, batendo com um fouet ou uma colher, até virar um molho dourado e uniforme. Para um bom molho, o segredo é usar o dobro de azeite em relação ao limão (ou vinagre). Se sobrar molho, guarde na geladeira e use em, no máximo, 2 a 3 dias. Quanto mais fresco, melhor.

Misture o molho aos demais ingredientes e sirva imediatamente. Se a fome apertar, uma fatia de pão integral não vai fazer mal a ninguém… E, para os que gostam de cebola crua, fatias de cebola roxa incrementam a salada.

* P.S.: a salada grega da foto é do restaurante Acrópoles, em São Paulo. No lugar do feta, eles usaram queijo branco, por dificuldades na compra do queijo de cabra. E adicionaram cebola em rodelas, mas a gente prefere sem.

Sopa de feijão branco

Feijão branco é um ingrediente bastante valorizado pelos italianos. Depois de cozido, sua textura amanteigada permite a confecção de pastinhas (como homus) para comer com torrada e azeite, sopas cremosas ou, escorrido e frio, em saladas.

Aqui, preparamos uma sopa perfumada e muito nutritiva. Deixa a barriga quentinha, sacia o apetite e conforta a alma. É imperdível para os dias de frio, um jantar delicioso e nada caro

sopa-de-feijao600SOPA DE FEIJÃO BRANCO
Rendimento: 4 porções

2 xícaras de feijão branco
1 litro e 1/2 de caldo de frango, legumes ou carne (ou água)
1 linguiça portuguesa, seca e defumada, em rodelas
1 cebola pequena
 3 dentes de alho
Cebolinha picada e ramos de tomilho
Azeite de oliva, sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Deixe o feijão de molho, de um dia para o outro. No dia seguinte, escorra a água e lave o feijão. Leve para cozinhar em uma panela grande, coberto com o caldo, até amolecer. Enquanto isso, frite as linguiças em rodelas e escorra o óleo. Reserve as linguiças.

Numa frigideira, frite a cebola picadinha em um pouco de azeite, polvilhe sal, e adicione o alho picadinho também. Quando estiverem dourados, acrescente as linguiças, a cebolinha picada, o tomilho, e duas conchas do feijão cozido, com caldo. Refogue até o feijão amolecer.

Feito isso, coloque esse tempero na panela do feijão, acerte o sal e deixe a sopa apurar, para tomar gosto e o feijão ficar ainda mais molinho.

Quando estiver no ponto desejado, sirva bem quente, acompanhada de croûtons ou fatias de pão fresco.

Bolinhos de siri

bolinhos-siriComecei a semana preparando bolinhos de siri. São simples, bolinhos de massa mole, daqueles com cara de infância. Minha avó fazia bolinhos com essa massa usando recheios como camarão ou miolo (de boi). Eu já fiz uma versão com atum em lata, ficaram gostosos também.

Mas a carne de siri é mais adocicada e leve, então pede algum temperinho a mais, como um pouco de pimenta picadinha.

BOLINHOS DE SIRI
Rendimento: 10 bolinhos

5 colheres (sopa) de farinha de trigo
1/2 copo (americano) de leite
2 ovos
300 g de carne de siri, já limpa
1/2 cebola picadinha
1 colher (sobremesa) de manteiga
1/2 pimenta dedo-de-moça sem sementes, picadinha
1 fio de molho shoyu
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Gotas de Tabasco

Frite levemente a cebola na manteiga e deixe esfriar. Enquanto isso, prepare a massa: bata os ovos e misture a farinha, o leite, a carne de siri e os temperos. Se a massa estiver muito mole, acrescente mais farinha. É importante que a massa fique mole, mas não aguada.

Quando a cebola estiver fria, acrescente à massa e mexa bem. Se gostar, pode acrescentar algumas ervinhas picadas, como cebolinha. Misture tudo e frite em óleo bem quente. Prove o sal do primeiro bolinho e, se estiver sem graça, coloque um pouco mais de sal na massa e mexa bem. Coloque os bolinhos com cuidado num prato com papel-toalha, para absorver bem a gordura.

Acompanha bem uma salada verde e também uma cerveja gelada… Gotas de Tabasco trazem mais alegria aos bolinhos, assim como um pouco de limão espremido.

Camarão praiano

camarao-praiano650

Quer um prato simples para um almoço de sábado especial? Vá de camarão! Se tiver camarões fresquíssimos em mãos, pode prepará-los de maneira muito prática e rápida, com alguns temperos, ervas, azeite e vinho branco. É uma receita com cara de praia, gosto de praia… Mas que cai bem até na cidade, a muitos quilômetros de distância do mar.

CAMARÃO PRAIANO
Rendimento: 2 porções para petiscar

500 g de camarão médio, limpo
1 cebola pequena picadinha
3 dentes de alho picadinhos
1 colher (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de azeite
1 xícara de vinho branco seco
ramos de tomilho fresco
sal e pimenta a gosto

Limpe os camarões (tire as cascas, cabeças e tripinhas, com um palito de dente) e lave bem. Reserve. Numa frigideira grande, aqueça a manteiga e o azeite e frite a cebola e o alho, até dourar. Junte o vinho branco e deixe cozinhar um pouco, até perder o cheiro excessivo de álcool.

Acrescente os camarões e cozinhe levemente, temperando com sal, pimenta e tomilho, por poucos minutos, até o camarão ficar macio. Ele não precisa dourar, apenas cozinhar e ficar rosado. O objetivo é ter um camarão suculento, com um delicioso molhinho de vinho e temperos no final.

Sirva quente, imediatamente, com arroz branco ou fatias grossas de pão fresco. Acompanha muitíssimo bem um vinho branco gelado, do tipo Chardonnay, Sauvignon Blanc ou outro de sua preferência. E acompanha melhor ainda uma conversa deliciosa com o seu amor, ou uma turma de amigos queridos. Quem precisa de mais alguma coisa para ser feliz?

Quesadillas de camarão

O chef Hugo Delgado, do restaurante Obá, ensinou uma receita de seu país, o México: quesadillas de camarão.

Para preparar, usamos tortillas de trigo, que hoje você pode comprar no mercado com o nome de Rap 10. Para o recheio, abobrinha, cebola, milho verde, pimenta dedo-de-moça, alho e camarões. A quesadilla fica completa com queijo meia-cura ralado – um excelente prato rápido para o jantar.

QUESADILLAS DE CAMARÃO COM ABOBRINHA
Rendimento: 5 unidades
(Receita do chef Hugo Delgado, do restaurante Obá, em São Paulo)

400 g de camarões médios, limpos e sem casca
1 abobrinha cortada em fatias finas, em formato de meia-lua
1 cebola em fatias finas
1 tomate
1 xícara (chá) de milho verde
1 dente de alho picadinho
1 pimenta dedo-de-moça em fatias finas, sem semente
1 pitada de pimenta calabresa
10 tortillas de trigo já prontas
1 pedaço de queijo meia-cura ralado
azeite para fritar
sal e pimenta a gosto

Primeiro, prepare o recheio: frite a cebola, o alho, o milho e a pimenta no azeite até a cebola amolecer. Acrescente a abobrinha e o tomate e frite rapidamente. Por último, acrescente os camarões, tempere com sal e pimenta calabresa e cozinhe muito rápido, para não passar do ponto (minutinhos, mesmo). Reserve.

Aqueça uma frigideira, sem óleo, e coloque uma tortilla sobre ela. Cubra com um pouco de queijo meia-cura ralado e, sobre ele, um pouco do recheio. Deixe a tortilla esquentar e ficar crocante e cubra com outra tortilla. Vire a quesadilla para que a outra tortilla esquente também e sirva. O ideal é comer logo depois de pronta, porque a tortilla fica crocante e faz um bom par com o queijo derretido do recheio…

***

Fizemos algumas adaptações à receita original do chef Hugo Delgado, a saber: trocamos a pimenta jalapeño fresca por dedo-de-moça e usamos milho verde de lata, em vez da espiga fresca. É claro que fica muito mais gostoso com milho verde fresco, cozido em casa.

A pimenta dedo-de-moça é mais suave que a jalapeño, então acrescentamos uma pitada de pimenta calabresa em flocos. Se encontrar jalapeño fresca, use-a: é deliciosa!

Tapenade

Tem uma sopa pronta e quer preparar um acompanhamento fácil? Tente a tapenade. Este patê provençal é feito com azeitonas, alcaparras, aliche e azeite. Pode-se acrescentar também um dente de alho cru, para dar uma certa picância e ainda mais personalidade. Há quem adicione um pouco de mostarda de Dijon, suco de limão, vinagre de maçã – pouquinho, para trazer mais acidez.

Pãozinho e tapenade

TAPENADE
Rendimento: 1 pote pequeno

24 azeitonas pretas gordas
2 colheres (sopa) bem cheinhas de alcaparras em conserva (sem o líquido)
1 dente de alho cru
1 xícara (café) de azeite extravirgem
2 filezinhos de aliche
Pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Tire os caroços das azeitonas e pique. Coloque todos os ingredientes num processador e bata de leve. Vá acrescentando o azeite aos poucos, para não exagerar na quantidade.

O importante é sempre bater muito levemente, com paciência, porque a mistura não pode virar um purê. Tem que manter uma textura gostosa, rústica e levemente pedaçuda, mas sem ficar molenga demais.

Quando estiver no ponto, acerte a pimenta e acrescente mais alcaparras, aliche ou azeitonas, se desejar. Importante: não precisa colocar sal! Todos os ingredientes são salgadinhos o suficiente.

Se preferir uma textura ainda mais rústica, pode fazer todo o processo num pilão. Também é divertido, embora dê um pouquinho mais de trabalho.

Sirva a tapenade com pães torrados, fatias de pão italiano, biscoitos salgados, legumes cozidos.