Natal e vinho

Natal e vinho

Os pratos da ceia natalina harmonizados com vinhos. Mais

Prepare-se: 2015 tem Food Hospitality World em São Paulo

Prepare-se: 2015 tem Food Hospitality World em São Paulo

Food Hospitality WorldEsta semana, a organização do Food Hospitality World – Feira Profissional de Alimentação e Hospitalidade – fez a apresentação oficial, em São Paulo, da terceira edição do evento no país. Promovido pela Fiera Milano, o evento ocorrerá no Centro de Exposições Imigrantes, na capital paulista, e já tem data marcada: 16 a 18 de março de 2015.

A ideia é reunir, no mesmo espaço, diversas marcas e profissionais dos setores de hospitalidade e food service, transformando o Food Hospitality World num dos maiores veículos para apresentação e discussão de novidades nessas áreas.

A feira, uma fusão das italianas TUTTO FOOD – Exposição Internacional de Alimentação e Cultura – e da HOST – Salão Internacional de Alimentação e Cultura – teve início em Milão e ocorre também em Istambul, Mumbai, Cantão, Bangalore e Cidade do Cabo, além de São Paulo. Durante o evento de apresentação, no restaurante paulistano Vinheria Percussi, o cônsul-geral da Itália em São Paulo, Michele Pala, reafirmou a importância da alimentação para a cultura italiana. “Ano que vem, a Expo Milano 2015 será dedicada à comida. O tema é ‘alimentando o planeta’”, diz ele. Bem a calhar num momento em que se discute cada vez mais a produção em massa de comida e o desperdício e/ou a escassez de recursos, como a água (oi, São Paulo!). A TUTTO FOOD ocorre paralelamente à Expo Milano. Para os organizadores do evento, a capital paulista é considerada uma “segunda Itália” em importância para a gastronomia e a alimentação.

Fique de olho na programação e nos expositores da edição 2015 do evento na capital paulista: fhwbrasil.com.br

A busca às origens

A busca às origens

Fico feliz demais quando vejo iniciativas como este prêmio Tastemakers 2012 da revista Bon Appétit, de homenagear pessoas que fazem a diferença na gastronomia – não só os chefs e autores badalados, mas o cara que faz queijo artesanal, a moça que se dedica a cultivar ervas, o amigo que tem um açougue com cortes e carnes especiais… Os produtores, grandes e pequenos, enfim.

E fico mais feliz ainda de ver que os brasileiros estão despertando para isso também. Neste fim de semana, o chef José Barattino, do Hotel Emiliano, em São Paulo, encabeçou a segunda edição de seu Market Day. Fui ao primeiro, em 2010, e neste domingo fiquei surpresa de ver como a ação cresceu, atraiu mais gente, começou a aproximar, de fato, o público dos produtores. Estavam lá desde marcas consagradas, como a deliciosa Valrhona, de chocolates megafinos (e incríveis, diga-se), até produtores menores, como a cervejaria Karavelle, de Indaiatuba (SP), e o pessoal bacana do Empório Poitara, mostrando ervas, frutas e sementes da Amazônia, ainda tão desconhecida para nós aqui do sul. Falando nisso, só a Amazônia já vale um post separado!

A ideia do chef Barattino, aliás, é justamente esta: aproximar o cliente do produtor para mostrar ao público a importância de se respeitar as estações, de fazer um trabalho benfeito, com produtos de qualidade, sem aquela loucura toda de  “ah, temos que servir morangos o ano inteiro”. Ora, não tem morango o ano inteiro! Percebe?

Trabalhando numa revista grande de gastronomia, como a Gula, estou sempre pensando em como fazer esse trabalho de aproximação também. Em especial, tenho um olhar crítico para receitas e ingredientes. Adoro quando pego um livro de receitas gringo, por exemplo. Mas fico triste quando vejo que, dentre os ingredientes, vemos uma enxurrada de opções que mais valem para a Europa do que para nós. Custava manter as receitas no original, claro, e sugerir substituições por ingredientes mais fáceis de achar por aqui, ou simplesmente mais típicos?

Ou melhor: vamos escrever mais livros sobre a nossa cozinha, que é tão absurdamente linda, rica, variada? Eu topo! o/

Também gostaria que a gente começasse a criar mais o hábito de perceber o que está ao nosso redor, valorizar as boas ações. Conhecer o comércio do bairro, pedir para saber de onde vêm os produtos, fazer compras menores e mais certeiras, desperdiçar menos.

Este é um dos meus desafios para 2012, aliás: desperdiçar menos, pouco, quase nada. Seja comida, seja meu precioso, e escasso, tempo.

E aproveitar mais o meu entorno, ocupar meu bairro, minha casa, minha vida. E se eu puder contribuir, um pouquinho que seja, com meu quinhão para a gastronomia, ficarei feliz, feliz. :) Como já estou, aliás.

Chef Barattino promete que logo tem mais Market Day, vamos aguardar!

A um passo do Natal

A um passo do Natal

Natal chez nous

Natal 2011: note o cogumelo psicodélico e purpurinado

A casa já está cheia de gostosuras natalinas: nozes, avelãs, amêndoas e castanhas portuguesas foram adquiridas junto com damascos, figos e ameixas secas no Mercado da Lapa, em São Paulo. É sempre uma aventura ir ao mercadão nesta época do ano, mas é inegável o prazer de encontrar produtos de época mais fresquinhos e mais baratos.

Ainda estou na dúvida sobre o que fazer nesta ceia… Este ano planejo sair um pouco do habitual, tentar um prato novo, algo que possa, talvez, transformar-se numa tradição natalina, para o dia em que eu tiver filhos e netos. Mas não sei bem por onde começar, pois não tenho sentido desejo de comer nada em particular.

O marido pediu o macarrão de nozes da avó, uma receita intrigante, adocicada. E eu não posso abrir mão dos crôstolis que minha mãe me ensinou há tanto tempo, receita que venho praticando desde que minhas mãozinhas mal conseguiam segurar a faca de pão. A arte de fazer pequenas coisinhas crocantes e doces, que vem passando de geração para geração e sempre me traz lembranças felizes.

Este ano tem sido duro, mas de um aprendizado impressionante. Perdemos membros de nossa família, sinal da passagem inevitável do tempo… Mas ganhamos a alegria de ver minha sobrinha crescendo, falando, desenvolvendo uma personalidade tão forte e bonita. Não fazia ideia de como ter crianças por perto mudam nossa perspectiva.

Natal, para mim, é isso. Uma festa com contornos religiosos, claro, mas mais do que tudo uma celebração da família. De quem a gente escolhe como família.

E por mais que eu trabalhe com gastronomia e descubra inúmeras delícias novas, quando chega esta época do ano eu só penso em peru assado, tender, pernil suculento com a carne desfiando… Salada de batatas, farofa com miúdos e uva passa, o prato enorme de frutas da época: pêssego, ameixa, uvas, cerejas, mangas. As nozes na casca me lembram meu pai, a alegria de sentar à mesa e abrir uma noz após a outra, tentando preservar as casquinhas para fazer um brinquedo, um joguinho… Sinto ainda agora o aroma desses Natais passados, outro tempo, quase outra vida.

E uma coisa puxa a outra, que puxa outra: o presépio com algodão (!), o papel-pedra amassado fazendo-se passar por montanhas áridas, o menino Jesus que sai da manjedoura e só é colocado nela à meia-noite. As luzes coloridas, o papel brilhante prateado, os presentinhos de brilho colorido.

É isso, o Natal certamente me deixa mais sentimental do que já sou. E este ano, em particular, mais do que já fui um dia.

E eu ainda não encontrei a receita certa para comemorá-lo do meu jeito, do nosso jeito, do jeito certo. Sigo em busca. 

(Mas já que eu falei em crôstoli, veja aqui a receitinha da minha mamma – pode ser servida com açúcar e canela, mel ou açúcar mascavo. Ou tudo junto.

Falando de café

Falando de café

Paris

Café é uma das minhas grandes paixões culinárias. Para ter uma ideia, tenho em casa várias opções para extrair o líquido negro e poderoso no meu café da manhã de todo dia: uma máquina de espresso De Longhi, uma Nespresso, coadores de plástico, uma moka italiana e uma minifrench press. Fora o arsenal para moer os grãos e as variedades de cafezinho que vou descobrindo por aí.

Meus favoritos hoje, em geral, têm sido os cafés brasileiros de microlotes, arábica, especialíssimos. Têm uma doçura natural e aromas que lembram achocolatado, caramelo, até floral. Para quem gosta de café, o céu é o limite.

Um viva para o Brasil e seus produtores dedicados, que têm aumentado, e muito, a qualidade das nossas bebidas!

Esses dias o portal da revista Espresso, especializado no assunto, me entrevistou sobre o Pingado e pão na chapa – Histórias e receitas de café da manhã, meu livro querido lançado no ano passado. Foi um papo gostoso, solto, em que falei dessa paixão tão intensa que tenho pelo café de todo dia. Não é para menos: sem minha xícara diária, não sou ninguém.

Confira aqui a minha entrevista sobre o livro no Portal Espresso.

Quer saber mais sobre o livro? Clique aqui!

*

PS: este café aí de cima não foi o melhor da minha vida em termos de qualidade, mas em termos afetivos ele cumpriu seu papel: foi oferecido após um almoço na universidade francesa Sorbonne, em outubro de 2010, parte do curso Hautes Études du Goût, no qual me formei. Foi um dia emocionante em que aprendi um pouco mais sobre os produtos regionais franceses, em aula ministrada nessa universidade mítica. Ter aula de comida na Sorbonne? Com almoço depois? Pura emoção. E com chocolatinho amargo para acompanhar… Ai, que saudade! :)

E o livro vai para…

E o livro vai para…

… A Júlia, que foi a sorteada e ganhou um lindo exemplar do meu livro Pingado e Pão na Chapa – histórias e receitas de café da manhã.

Parabéns, Júlia! :D

A vencedora deixou este recadinho aqui no Guloseima:

*

Enviado em 29/06/2010 às 14:44

Olá Luciana,
Tudo bem?
Conheci seu blog pelo blog da Cris e gostei muito!
Parabéns pelo lançamento do livro, queria muito ter ido, mas não consegui.
Agora quero ganhar um! hehehehe
Um beijo grande

*

Querida Júlia, vou te mandar um e-mail pedindo seu endereço. Logo, logo o livrinho estará nas suas mãos. Quero saber sua opinião, hein? ;)

Aconteceu. E foi lindo!

Aconteceu. E foi lindo!

Pingado e Pão na Chapa

O lançamento do Pingado e Pão na Chapa – Histórias e receitas de café da manhã, meu primeiro livrinho, foi lindo.

Muitas pessoas queridas, amigos, família e leitores estavam lá para prestigiar a noite. Até minha mestra Carole Crema foi!

Deixo aqui meu agradecimento a todos que estiveram lá, em presença ou em pensamento. :)

Para quem quiser conhecer meu trabalho, o livro já está disponível para venda nas grandes livrarias, como a Cultura. Veja aqui.

Ontem minha editora querida, a Camila, me mandou uma foto com uma pilha dos meus livrinhos na livraria da Travessa, no Rio. Espero que os amigos cariocas curtam o Pingado e Pão na Chapa também. :D

Olha que estão falando da gente por aí:

Blog do Paladar (Estadão)
“Um bom motivo para sair da cama”, resenha da Cintia Bertolino sobre o livrinho.

UOL Receitas e Restaurantes
“Roteiro traz 12 receitas de itens indispensáveis para um delicioso café da manhã”, texto de Rafael Mosna com dicas ótimas e alguns pitacos meus ;)

*

E aguardem! A semana está terminando na mais alta correria, adrenalina pura, mas tenho duas novidades para vocês para a semana:

Vai ter sorteio do meu livrinho querido para os leitores do Guloseima, em breve seguem as regrinhas para participar ;)

– E vou falar também de um movimento novo, novíssimo, que está rolando por aqui: “Eu adoro pingado”. Acho que vão gostar!

Hoje na CBN

Hoje na CBN

Como anunciei no post de ontem, daqui a pouco estarei na rádio CBN falando com vocês sobre este blog querido e o lançamento do meu novo livro, Pingado e Pão na Chapa – Histórias e Receitas de Café da Manhã.

Ouçam e me digam o que acharam! :)

*

ATUALIZAÇÃO: não conseguiu ouvir a entrevista? Não tem problema! Ouça aqui e me conte!

*

E aproveitando o post, hoje está um sábado perfeito para cozinhar em casa. Chuva de manhã, tempo friozinho em São Paulo… Acho que vou preparar algo no forno, para deixar a casa toda quentinha!

Ou talvez prepare uma boa massa fresca. Que tal esta, com ragu de cogumelos? Nham!

Café da mamãe

Café da mamãe

Maio está cheinho de novidades, que coisa boa! :)

Dia 25/05 tem o lançamento do Pingado e Pão na Chapa – Histórias e Receitas de Café da Manhã, como já anunciei para vocês aqui.

E por ocasião do lançamento do livro, o UOL me convidou para fazer uma matéria muito divertida para a TV UOL. O resultado está no ar hoje!

No vídeo, eu ensino a preparar uma bandeja linda de café da manhã para as mamães.

E para completar o ciclo, amanhã às 13h30 falarei ao vivo na rádio CBN sobre o Guloseima e meu livrinho novo. :)

Segue o vídeo de hoje, digam o que acharam:

Convite: Pingado e pão na chapa!

Convite: Pingado e pão na chapa!

Agora é oficial: tem lançamento do meu primeiro livro de culinária e gastronomia, Pingado e Pão na Chapa – Histórias e Receitas de Café da Manhã - no dia 25/05. A edição charmosa é obra da querida editora Memória Visual.

O lançamento será a partir das 18h30, na loja de Artes da Livraria Cultura, do Conjunto Nacional. Pertinho, pertinho.

Vamos? Todos os amados leitores estão convidados, sempre! :)

Convite - Pingado e Pão na Chapa, de Luciana Mastrorosa

Convite - Pingado e Pão na Chapa, de Luciana Mastrorosa

Todos os direitos reservados © Guloseima 2015 – Tema por Lanika.net + Carolina Y