Polenta

Polenta caseira coberta com almeirão salteado com alho e azeite, parmesão, pimenta preta. Foto: Guloseima.net

Tenho fascínio por verduras amargas. Catalonia, escarola, almeirão, folhas de mostarda… Cada uma acrescenta uma camada diferente de sabor, mesmo que preparadas da maneira mais simples do universo: salteadas com alho picado e bom azeite. Aqui, salteamos as verduras para cobrir uma apetitosa polenta caseira. Continue lendo “Polenta”

Panela boa

Ganhei minha primeira panela Le Creuset! Linda, laranja, de ferro esmaltado. Le Creuset não é qualquer panela: é “A” panela. É o recipiente que habita os sonhos dos cozinheiros, com suas lindas cores envolvendo o pesado ferro esmaltado que a compõe. É a panela que me traz as lembranças mais felizes do curso de cozinha na Wilma Kovesi, no já longínquo ano de 2008. É a panela que vou deixar de presente para meus filhos ou netos ou bisnetos ou sobrinhos – ou alguém muito querido, que saiba dar valor a ela. Para celebrar, nada melhor que um boeuf bourguignon cozido looongamente. Quer tentar? Continue lendo “Panela boa”

Sopa de abóbora

sopa-abobora-gorgonzolaPara quem está com um pé na dieta, uma sopa sempre vai bem. Esta é levinha, feita com abóbora e caldo caseiro de peixe, o tradicional fumet.

Sirva com um fio de azeite extravirgem e pedacinhos de gorgonzola.

SOPA DE ABÓBORA COM CALDO DE PEIXE
Rendimento: 4 porções

Caldo de peixe
1 espinha de robalo (com cabeça)
1/2 xícara (chá) de vinho branco seco (usei um Sauvignon Blanc chileno)
1/2 alho-poró picado
1 talo de erva-doce picado
1 cenoura grande picada
1/2 cebola picada
1 ramo de salsinha
1 ramo de cebolinha-verde
1 ramo de tomilho fresco
2 dentes pequenos de alho, inteiros e descascados
7 grãos de pimenta-do-reino
1 folha de louro
1 fio de azeite de oliva
Água quanto baste

Numa panela grande, aqueça o azeite e frite a espinha e a cabeça do peixe (já bem lavados) até ficarem cozidas. Adicione o vinho, mexa bem e mantenha no fogo até o álcool evaporar. Acrescente a cebola, frite mais um pouco e junte o restante dos ingredientes, menos a água. Deixe cozinhar por 5 minutos e então cubra tudo com água fria. Mantenha em fogo alto até ferver, retirando as impurezas que se formam na superfície. Quando ferver, abaixe o fogo, tampe e cozinhe por 30 minutos. Depois disso, escorra cuidadosamente numa peneira metálica ou chinois e reserve o caldo.

Eu já tinha fatias de abóbora cabotchã assadas com manteiga e louro, então o que fiz foi retirar as cascas das fatias e amassar a polpa. Cortei mais 1/2 alho-poró em rodelas e fritei as fatias em 1 colher (sopa) de manteiga. Quando estavam começando a pegar cor, juntei as abóboras amassadas, misturei bem e temperei com sal e pimenta. Acrescentei uma parte do caldo quente de peixe e deixei ferver. Quando ferveu, abaixei o fogo, tampei e deixei cozinhar por 35 minutos. Se preferir uma sopa mais cremosa, pode deixar mais tempo no fogo, para apurar. Confira o sal e a pimenta e sirva com fatias de pão tostado e um fio generoso de azeite de oliva extravirgem.

Carbonara muito rápido

carbonara

Cozinhar é uma delícia. Gosto de preparar coisas frescas para comer, diariamente, de preferência. Mas este verão tem sido esquisitíssimo! Nunca sei o que fazer para o jantar. Chego em casa de noite e, na breve ida ao supermercado, começa a garoar. Garoa, no verão? Como assim?!? Deve ser o tal do aquecimento global.

Fato é que nunca houve verão como este, eu acho. Ao menos para mim. Onde já se viu ter vontade de comer macarrão à carbonara em dezembro? Nos trópicos? Só eu e o clima doido que nos permitimos esse tipo de loucura saudável.

Este carbonara é vapt-vupt. Rapidíssimo! Acreditem.

MACARRÃO À CARBONARA MUITO RÁPIDO
Rendimento: 1 porção

150 g de espaguete de grano duro
1 ovo batido
1 fatia grossa de bacon defumado, sem a casca, em cubos
2 dentes de alho bem picadinhos
parmesão ralado a gosto
azeite de oliva quanto baste
sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Coloque um pouco de azeite numa frigideira pequena. Adicione o alho picadinho e o bacon em cubos e frite, em fogo médio, até o alho começar a dourar. Retire do fogo e reserve. Cozinhe o macarrão em água abundante temperada com sal a gosto e 1 fio de azeite. Enquanto isso, quebre o ovo num prato e bata-o com um garfo. Tempere com 1 pitada de sal e pimenta moída na hora. Reserve. Quando o macarrão estiver cozido, escorra a maior parte da água, reservando apenas um tantinho na panela. Volte à esta panela o macarrão escorrido e junte o ovo batido. Mexa vigorosamente com uma colher de pau e adicione 1 bom punhado de queijo ralado. Acrescente então o bacon frito no azeite com alho e misture bem. Se quiser, coloque mais queijo parmesão, misture bastante e sirva imediatamente.

Eu gosto de servir o macarrão à carbonara com mais parmesão e mais pimenta moída na hora. Em uma segunda-feira como esta, de verão com cara de outono, cai bem uma taça de vinho tinto. O de hoje foi um côtes du rhône francês que encontrei no mercado. Nada de grave, nada de mais.

Alcachofra braseada

Percebo que a primavera está chegando por alguns sinais. O primeiro deles são os ipês amarelos, que florescem em toda a cidade, dando aquela impressão gostosa de que o calor se aproxima. Os outros sinais estão nos mercados e feiras, onde a oferta de alguns ingredientes dá pistas de que o inverno está indo embora.

Um desses ingredientes primaveris é a alcachofra. Já em meados de agosto notei que esta flor já estava presente no mercado e na feira, tanto as grandonas como as minialcachofras. Quando frescas, é costume da minha família prepará-las com um molhinho bem suave de tomates frescos, alho, cebola e orégano, e degustá-las das pétadas ao miolo.

Mas desta vez quis inovar e, vendo as lindas alcachofrinhas-bebês no mercado, por um excelente preço, decidi prepará-las na panela, quase inteiras.

Seu preparo é muito simples. O que dá trabalho é limpar as pequenas alcachofras, arrancando as pétalas duras e removendo com muito cuidado as fibras que recobrem o coração. Feito isso, é só refogá-las em um pouco de alho, azeite e vinho branco e deixá-las cozinhar até ficarem macias. Com alcachofra fresca, não tem erro.

alccachofrinhas

ALCACHOFRAS BRASEADAS
Rendimento: 2 porções

10 minialcachofras
1 dente de alho picadinho
1 colher (sopa) de azeite de oliva
50 ml de vinho branco seco
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Água quanto baste

Limpe as alcachofrinhas como mencionado acima, deixando-as de molho em água com limão até a hora de usar. Quando estiverem todas limpas, escorra-as e reserve. Aqueça o azeite numa panela pequena e doure ligeiramente o alho. Acrescente as alcachofrinhas, misture bem e coloque um pouco de sal. Junte o vinho e cozinhe até evaporar quase completamente. Abaixe o fogo, junte um dedinho de água e tampe a panela. Verifique de vez em quando, até as alcachofras estarem bem macias. Junte mais água quente, se necessário, e cozinhe até as alcachofras absorverem todo o líquido. Corrija o sal, tempere com pimenta-do-reino moída na hora e sirva em seguida.

Eu fiz essas alcachofrinhas para acompanhar hambúrgueres caseiros e rodelas de batata assadas com alho e tomilho. Todas receitas simples, que aproveitam o melhor da estação e ainda nutrem corpo e alma.

Couve-flor à polonaise

Esta receita é muito simples, mas incrivelmente boa. Leva apenas couve-flor, farinha de rosca e manteiga. Um toque de sal e pimenta, alguns minutinhos de forno bem alto e voilà: um prato gostosinho para complementar o jantar.

COUVE-FLOR À POLONAISE
Rendimento: 2 porções

1 couve-flor
2 colheres (sopa) de manteiga sem sal
4 colheres (sopa) de farinha de rosca
água quanto baste
sal e pimenta-do-reino a gosto

Lave bem a couve-flor, desmembrando-a em pequenos floretes e cortando eventuais pontinhos pretos. Cozinhe a couve-flor em água fervente, com sal a gosto, por 8 minutos. Em seguida, resfrie-a em água gelada.

Acomode a couve-flor em uma tigela que possa ir ao forno e reserve. Enquanto isso, derreta a manteiga em uma frigideira antiaderente e junte a farinha. Torre por alguns minutos, em fogo médio, até a farinha ficar dourada e desprender um aroma agradável. Coloque essa farinha sobre a couve-flor e leve a tigela ao forno alto, bem quente, para gratinar por 10 minutos.

Retire do forno, tempere com sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto e sirva.

É um acompanhamento delicioso para um salmão assado ou bife grelhado.

*

Em tempo: farinha de rosca boa de verdade é aquela que a gente faz em casa. Se tiver pãozinho francês sobrando, corte-o em fatias e leve ao forno alto por alguns minutos, como se fosse para fazer torradas, até ficar bem seco. Deixe esfriar e moa as torradas num moedor, processador ou liquidificador, até virar uma farinha. Fácil, fácil, e ainda aproveita os pãezinhos que sempre sobram.