E-book: Natal Feliz!

E-book: Natal Feliz!

Por aqui, a gente adora Natal. Não só o Natal, em si, mas esta época do ano, de maneira geral. Reencontrar os amigos, a família, ficar perto de quem a gente ama. Todo mundo acaba se permitindo uns dias de folga, um descanso breve na loucura.

Este foi um ano difícil para o Brasil e para o mundo. Por todo lado, só se ouvia falar em crise e em surtos de violência. Bote aí no pacote tragédias ambientais e falta d’água e temos um cenário caótico. Mas… Sempre tem um “mas”. E é nesses “mas, poréns, todavias” que a gente deve pensar na hora de ver tudo o que fizemos (e ainda estamos fazendo) em 2015.

Este ano, por exemplo, nasceram diversos bebês maravilhosos de mães e pais muito queridos. Nossas bebezinhas e bebezinhos lindos estão crescendo, firmes e fortes, e ajudando a suavizar as mazelas de todo dia.

Além disso, nunca houve tanta mobilização positiva pelos direitos das mulheres, por uma conscientização maior e mais ampla sobre direitos civis, liberdades individuais, respeito às diferenças. Só isso já é um motivo gigantesco para comemorar. Ainda há muita luta pela frente, mas toda mudança começa dessa forma: devagar e sempre.

Por isso, este ano resolvi dar um presente aos meus leitores. Para celebrar as coisas boas que recebi, para celebrar a força que tive nos momentos difíceis e, principalmente, para ajudar a trazer um pouco mais de gostosuras a este mundo. Porque, se tem uma coisa em que eu acredito, esta coisa certamente atende pelo nome de “comida”.

Aqui apresento a vocês, cara leitora e caro leitor, meu primeiro livro digital do Guloseima: Natal Feliz! 30 receitas incríveis para sua ceia, por Luciana Mastrorosa. É um e-book com receitas natalinas para ajudar a montar uma festa inesquecível! 

capa1000x1500

Clique no link abaixo para fazer o download gratuito de Natal Feliz! 30 receitas incríveis para sua ceia, por Luciana Mastrorosa:

NatalFeliz-LucianaMastrorosa-Dez2015

São entradas, guarnições, pratos principais, sobremesas, drinks e alguns mimos comestíveis para presentear. As receitas são da minha família para a sua, e espero que você curta cada tempinho dedicado à cozinha.

A fotografia é da querida Carol Gherardi, expert em fotos de gastronomia. A diagramação final é do José Bueno de Souza, a cara-metade que ajudou a distrair a nossa bebê enquanto a mamãe aqui cozinhava ou preparava os pratos para as fotos ou escrevia em todo segundinho disponível.

A concepção deste projeto e sua execução são minhas, mesmo. Heheheh. Mas sem a ajuda desse time incrível, este livro não teria saído do mundo dos sonhos.

E, claro, tenho muito a agradecer a marcas parceiras e queridas que colaboraram com insumos de alta qualidade para a confecção das receitas.

É isso, gente. Espero que gostem e divulguem por aí! A gente ainda vai se falar muito até o fim do ano e além, mas aproveito para desejar agora, já, um FELIZ NATAL para todos nós. Vamos aproveitar cada segundinho deste fim de ano, porque o tempo voa.

 

Marcas parceiras, aqui fica meu superobrigada pelo carinho e pela colaboração! <3

marcas-site

 

 

 

 

 

Cultivando ervas

Cultivando ervas

ervinhas

Moro num apartamento pequeno, sem varanda. Mas, aprecio enormemente o uso de ervas frescas na cozinha – e acho um absurdo o preço que se cobra por um macinho murcho de ervas no mercado. Mais

Damascus

Damascus

Conheça a Damascus, lanchonete árabe pequenina no bairro de Pinheiros, em São Paulo. Tem esfirras, quibes, homus, docinhos e diversas especialidades. Os donos vieram da Síria, procurando refúgio por aqui em tempos politicamente difíceis por lá. Mais

Polenta

Polenta

Polenta caseira coberta com almeirão salteado com alho e azeite, parmesão, pimenta preta. Foto: Guloseima.net

Tenho fascínio por verduras amargas. Catalonia, escarola, almeirão, folhas de mostarda… Cada uma acrescenta uma camada diferente de sabor, mesmo que preparadas da maneira mais simples do universo: salteadas com alho picado e bom azeite. Aqui, salteamos as verduras para cobrir uma apetitosa polenta caseira. Mais

Nhoque caseiro

Nhoque caseiro

Nhoques esperando o cozimento em água fervente, para depois receberem o molho ao sugo. Foto: Luciana Mastrorosa/Guloseima

Poucas receitas são mais “comfort food” que nhoque. É preciso ter a mão leve para preparar a massa, pois qualquer excesso de farinha pode deixar os nhoques pesados. A batata também tem seus segredos: use as farinhosas. Mais

Panela boa

Panela boa

Ganhei minha primeira panela Le Creuset! Linda, laranja, de ferro esmaltado. Le Creuset não é qualquer panela: é “A” panela. É o recipiente que habita os sonhos dos cozinheiros, com suas lindas cores envolvendo o pesado ferro esmaltado que a compõe. É a panela que me traz as lembranças mais felizes do curso de cozinha na Wilma Kovesi, no já longínquo ano de 2008. É a panela que vou deixar de presente para meus filhos ou netos ou bisnetos ou sobrinhos – ou alguém muito querido, que saiba dar valor a ela. Para celebrar, nada melhor que um boeuf bourguignon cozido looongamente. Quer tentar? Mais

Sopa de abóbora

Sopa de abóbora

sopa-abobora-gorgonzolaPara quem está com um pé na dieta, uma sopa sempre vai bem. Esta é levinha, feita com abóbora e caldo caseiro de peixe, o tradicional fumet.

Sirva com um fio de azeite extravirgem e pedacinhos de gorgonzola.

SOPA DE ABÓBORA COM CALDO DE PEIXE
Rendimento: 4 porções

Caldo de peixe
1 espinha de robalo (com cabeça)
1/2 xícara (chá) de vinho branco seco (usei um Sauvignon Blanc chileno)
1/2 alho-poró picado
1 talo de erva-doce picado
1 cenoura grande picada
1/2 cebola picada
1 ramo de salsinha
1 ramo de cebolinha-verde
1 ramo de tomilho fresco
2 dentes pequenos de alho, inteiros e descascados
7 grãos de pimenta-do-reino
1 folha de louro
1 fio de azeite de oliva
Água quanto baste

Numa panela grande, aqueça o azeite e frite a espinha e a cabeça do peixe (já bem lavados) até ficarem cozidas. Adicione o vinho, mexa bem e mantenha no fogo até o álcool evaporar. Acrescente a cebola, frite mais um pouco e junte o restante dos ingredientes, menos a água. Deixe cozinhar por 5 minutos e então cubra tudo com água fria. Mantenha em fogo alto até ferver, retirando as impurezas que se formam na superfície. Quando ferver, abaixe o fogo, tampe e cozinhe por 30 minutos. Depois disso, escorra cuidadosamente numa peneira metálica ou chinois e reserve o caldo.

Eu já tinha fatias de abóbora cabotchã assadas com manteiga e louro, então o que fiz foi retirar as cascas das fatias e amassar a polpa. Cortei mais 1/2 alho-poró em rodelas e fritei as fatias em 1 colher (sopa) de manteiga. Quando estavam começando a pegar cor, juntei as abóboras amassadas, misturei bem e temperei com sal e pimenta. Acrescentei uma parte do caldo quente de peixe e deixei ferver. Quando ferveu, abaixei o fogo, tampei e deixei cozinhar por 35 minutos. Se preferir uma sopa mais cremosa, pode deixar mais tempo no fogo, para apurar. Confira o sal e a pimenta e sirva com fatias de pão tostado e um fio generoso de azeite de oliva extravirgem.

Carbonara muito rápido

Carbonara muito rápido

carbonara

Cozinhar é uma delícia. Gosto de preparar coisas frescas para comer, diariamente, de preferência. Mas este verão tem sido esquisitíssimo! Nunca sei o que fazer para o jantar. Chego em casa de noite e, na breve ida ao supermercado, começa a garoar. Garoa, no verão? Como assim?!? Deve ser o tal do aquecimento global.

Fato é que nunca houve verão como este, eu acho. Ao menos para mim. Onde já se viu ter vontade de comer macarrão à carbonara em dezembro? Nos trópicos? Só eu e o clima doido que nos permitimos esse tipo de loucura saudável.

Este carbonara é vapt-vupt. Rapidíssimo! Acreditem.

MACARRÃO À CARBONARA MUITO RÁPIDO
Rendimento: 1 porção

150 g de espaguete de grano duro
1 ovo batido
1 fatia grossa de bacon defumado, sem a casca, em cubos
2 dentes de alho bem picadinhos
parmesão ralado a gosto
azeite de oliva quanto baste
sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Coloque um pouco de azeite numa frigideira pequena. Adicione o alho picadinho e o bacon em cubos e frite, em fogo médio, até o alho começar a dourar. Retire do fogo e reserve. Cozinhe o macarrão em água abundante temperada com sal a gosto e 1 fio de azeite. Enquanto isso, quebre o ovo num prato e bata-o com um garfo. Tempere com 1 pitada de sal e pimenta moída na hora. Reserve. Quando o macarrão estiver cozido, escorra a maior parte da água, reservando apenas um tantinho na panela. Volte à esta panela o macarrão escorrido e junte o ovo batido. Mexa vigorosamente com uma colher de pau e adicione 1 bom punhado de queijo ralado. Acrescente então o bacon frito no azeite com alho e misture bem. Se quiser, coloque mais queijo parmesão, misture bastante e sirva imediatamente.

Eu gosto de servir o macarrão à carbonara com mais parmesão e mais pimenta moída na hora. Em uma segunda-feira como esta, de verão com cara de outono, cai bem uma taça de vinho tinto. O de hoje foi um côtes du rhône francês que encontrei no mercado. Nada de grave, nada de mais.

Alcachofra braseada

Alcachofra braseada

Percebo que a primavera está chegando por alguns sinais. O primeiro deles são os ipês amarelos, que florescem em toda a cidade, dando aquela impressão gostosa de que o calor se aproxima. Os outros sinais estão nos mercados e feiras, onde a oferta de alguns ingredientes dá pistas de que o inverno está indo embora.

Um desses ingredientes primaveris é a alcachofra. Já em meados de agosto notei que esta flor já estava presente no mercado e na feira, tanto as grandonas como as minialcachofras. Quando frescas, é costume da minha família prepará-las com um molhinho bem suave de tomates frescos, alho, cebola e orégano, e degustá-las das pétadas ao miolo.

Mas desta vez quis inovar e, vendo as lindas alcachofrinhas-bebês no mercado, por um excelente preço, decidi prepará-las na panela, quase inteiras.

Seu preparo é muito simples. O que dá trabalho é limpar as pequenas alcachofras, arrancando as pétalas duras e removendo com muito cuidado as fibras que recobrem o coração. Feito isso, é só refogá-las em um pouco de alho, azeite e vinho branco e deixá-las cozinhar até ficarem macias. Com alcachofra fresca, não tem erro.

alccachofrinhas

ALCACHOFRAS BRASEADAS
Rendimento: 2 porções

10 minialcachofras
1 dente de alho picadinho
1 colher (sopa) de azeite de oliva
50 ml de vinho branco seco
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Água quanto baste

Limpe as alcachofrinhas como mencionado acima, deixando-as de molho em água com limão até a hora de usar. Quando estiverem todas limpas, escorra-as e reserve. Aqueça o azeite numa panela pequena e doure ligeiramente o alho. Acrescente as alcachofrinhas, misture bem e coloque um pouco de sal. Junte o vinho e cozinhe até evaporar quase completamente. Abaixe o fogo, junte um dedinho de água e tampe a panela. Verifique de vez em quando, até as alcachofras estarem bem macias. Junte mais água quente, se necessário, e cozinhe até as alcachofras absorverem todo o líquido. Corrija o sal, tempere com pimenta-do-reino moída na hora e sirva em seguida.

Eu fiz essas alcachofrinhas para acompanhar hambúrgueres caseiros e rodelas de batata assadas com alho e tomilho. Todas receitas simples, que aproveitam o melhor da estação e ainda nutrem corpo e alma.

Couve-flor à polonaise

Couve-flor à polonaise

Esta receita é muito simples, mas incrivelmente boa. Leva apenas couve-flor, farinha de rosca e manteiga. Um toque de sal e pimenta, alguns minutinhos de forno bem alto e voilà: um prato gostosinho para complementar o jantar.

COUVE-FLOR À POLONAISE
Rendimento: 2 porções

1 couve-flor
2 colheres (sopa) de manteiga sem sal
4 colheres (sopa) de farinha de rosca
água quanto baste
sal e pimenta-do-reino a gosto

Lave bem a couve-flor, desmembrando-a em pequenos floretes e cortando eventuais pontinhos pretos. Cozinhe a couve-flor em água fervente, com sal a gosto, por 8 minutos. Em seguida, resfrie-a em água gelada.

Acomode a couve-flor em uma tigela que possa ir ao forno e reserve. Enquanto isso, derreta a manteiga em uma frigideira antiaderente e junte a farinha. Torre por alguns minutos, em fogo médio, até a farinha ficar dourada e desprender um aroma agradável. Coloque essa farinha sobre a couve-flor e leve a tigela ao forno alto, bem quente, para gratinar por 10 minutos.

Retire do forno, tempere com sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto e sirva.

É um acompanhamento delicioso para um salmão assado ou bife grelhado.

*

Em tempo: farinha de rosca boa de verdade é aquela que a gente faz em casa. Se tiver pãozinho francês sobrando, corte-o em fatias e leve ao forno alto por alguns minutos, como se fosse para fazer torradas, até ficar bem seco. Deixe esfriar e moa as torradas num moedor, processador ou liquidificador, até virar uma farinha. Fácil, fácil, e ainda aproveita os pãezinhos que sempre sobram.

Todos os direitos reservados © Guloseima 2015 – Tema por Lanika.net + Carolina Y