E-book: Natal Feliz!

E-book: Natal Feliz!

Por aqui, a gente adora Natal. Não só o Natal, em si, mas esta época do ano, de maneira geral. Reencontrar os amigos, a família, ficar perto de quem a gente ama. Todo mundo acaba se permitindo uns dias de folga, um descanso breve na loucura.

Este foi um ano difícil para o Brasil e para o mundo. Por todo lado, só se ouvia falar em crise e em surtos de violência. Bote aí no pacote tragédias ambientais e falta d’água e temos um cenário caótico. Mas… Sempre tem um “mas”. E é nesses “mas, poréns, todavias” que a gente deve pensar na hora de ver tudo o que fizemos (e ainda estamos fazendo) em 2015.

Este ano, por exemplo, nasceram diversos bebês maravilhosos de mães e pais muito queridos. Nossas bebezinhas e bebezinhos lindos estão crescendo, firmes e fortes, e ajudando a suavizar as mazelas de todo dia.

Além disso, nunca houve tanta mobilização positiva pelos direitos das mulheres, por uma conscientização maior e mais ampla sobre direitos civis, liberdades individuais, respeito às diferenças. Só isso já é um motivo gigantesco para comemorar. Ainda há muita luta pela frente, mas toda mudança começa dessa forma: devagar e sempre.

Por isso, este ano resolvi dar um presente aos meus leitores. Para celebrar as coisas boas que recebi, para celebrar a força que tive nos momentos difíceis e, principalmente, para ajudar a trazer um pouco mais de gostosuras a este mundo. Porque, se tem uma coisa em que eu acredito, esta coisa certamente atende pelo nome de “comida”.

Aqui apresento a vocês, cara leitora e caro leitor, meu primeiro livro digital do Guloseima: Natal Feliz! 30 receitas incríveis para sua ceia, por Luciana Mastrorosa. É um e-book com receitas natalinas para ajudar a montar uma festa inesquecível! 

capa1000x1500

Clique no link abaixo para fazer o download gratuito de Natal Feliz! 30 receitas incríveis para sua ceia, por Luciana Mastrorosa:

NatalFeliz-LucianaMastrorosa-Dez2015

São entradas, guarnições, pratos principais, sobremesas, drinks e alguns mimos comestíveis para presentear. As receitas são da minha família para a sua, e espero que você curta cada tempinho dedicado à cozinha.

A fotografia é da querida Carol Gherardi, expert em fotos de gastronomia. A diagramação final é do José Bueno de Souza, a cara-metade que ajudou a distrair a nossa bebê enquanto a mamãe aqui cozinhava ou preparava os pratos para as fotos ou escrevia em todo segundinho disponível.

A concepção deste projeto e sua execução são minhas, mesmo. Heheheh. Mas sem a ajuda desse time incrível, este livro não teria saído do mundo dos sonhos.

E, claro, tenho muito a agradecer a marcas parceiras e queridas que colaboraram com insumos de alta qualidade para a confecção das receitas.

É isso, gente. Espero que gostem e divulguem por aí! A gente ainda vai se falar muito até o fim do ano e além, mas aproveito para desejar agora, já, um FELIZ NATAL para todos nós. Vamos aproveitar cada segundinho deste fim de ano, porque o tempo voa.

 

Marcas parceiras, aqui fica meu superobrigada pelo carinho e pela colaboração! <3

marcas-site

 

 

 

 

 

Geleia de morango

Geleia de morango

morangos

É época de morangos por aí? Aproveite para fazer geleia. Esta receita é do Pingado e Pão na Chapa – Histórias e Receitas de Café da Manhã. Fácil, rápida e uma das formas mais deliciosas para se aproveitar morangos. Se forem orgânicos, melhor ainda.

GELEIA DE MORANGO
Rendimento: 1 pote pequeno

320 g de morangos frescos bem maduros e sem folhas
160 g de açúcar
160 ml de água

Modo de preparo
Lave bem os morangos, removendo as folhas, cabinhos e eventuais partes machucadas. Corte-os em pedaços e transfira-os para uma panela. Acrescente o açúcar e a água, misture e amasse os morangos com um garfo. Cozinhe a mistura em fogo alto por cerca de 10 minutos, mexendo sempre, até a mistura começar a despregar do fundo da panela, atingindo a consistência de geleia.

Dicas
– Para saber se a geleia está no ponto, coloque um pouquinho sobre um prato de porcelana. Se estiver no ponto correto, a geleia permanecerá firme, sem escorrer pelo prato.

- Se quiser aumentar a receita, use sempre a proporção uma medida de fruta para meia de açúcar. Caso prefira uma geleia mais doce, use uma proporção de um para um, por exemplo: 1 kg de morango para 1 kg de açúcar, ajustando a água de acordo com a quantidade de ingredientes utilizados.

Top brownie

Top brownie

browniesAmo brownies. Faço um atrás do outro, testo mil receitas e sempre fica bom. Brownie é o tipo de doce que nunca te decepciona: um exagero de chocolate, massa macia, bom quente ou gelado, com ou sem calda, com ou sem sorvete. Gosto do brownie puro, sem castanha, sem nada, só aquela loucura exagerada de chocolate para acompanhar uma xícara de café passado na hora ou várias xícaras de chá.

E o mais divertido: fica pronto rápido. Meia hora e o brownie se destaca da assadeira e vai direto aos pratinhos em pedações açucarados. Anima qualquer alma, acredite.

A massa é para os fortes: um monte de chocolate em pó (ou em barra), açúcar, manteiga. Nem pense em economizar e fazer com margarina, porque o resultado é infinitamente inferior. Brownie bom é aquele cheinho de calorias felizes.

Como esta receita abaixo, tão deliciosa que adotei como a mais básica de todas na minha cozinha. Encontrei perdida na internet e não guardei o link (shame on me), mas eu lembro do nome da autora: Nicole.

Nicole, seja você quem for, aqui vai um salve: sua receita é ótima! Segue abaixo a receitinha desse brownie delicioso e prático, com ligeiras adaptações feitas pela nossa intrépida cozinha:

BROWNIE DA NICOLE
Rende 1 assadeira média

200 g de manteiga em temperatura ambiente (consistência de pomada)
2 xícaras (chá) de açúcar (uso açúcar de baunilha, que aromatizo com as favas usadas em outras receitas)
4 ovos (orgânicos, de gema bem amarelinha)
1 1/2 xícara (chá) de chocolate em pó (pode usar metade chocolate, metade cacau em pó, para um resultado mais amarguinho)
1 xícara (chá) de farinha de trigo sem fermento, peneirada

Misture a manteiga e o açúcar em uma tigela e bata por 1 minuto, até incorporar bem os ingredientes. É importante que a manteiga esteja macia justamente para assimilar melhor o açúcar. Em seguida, junte os ovos e mexa bem. Adicione então o chocolate, misture e incorpore a farinha, até obter uma massa pesadinha e bonita. Eu misturo tudo à mão, numa tigela grande, porque se bater demais a massa ficará fofa, o que não é o objetivo aqui. Neste momento, você pode acrescentar um punhado ou dois de nozes picadas, que fica delicioso também (fiz uma versão assim para a mamãe, que adora nozes). Ou de outras castanhas de sua preferência, claro.

Coloque para assar numa forma média, retangular (20 a 25 cm), forrada com papel-manteiga. Se fizer dessa forma, não precisa untar nem enfarinhar a forma. Se não tiver papel-manteiga, então unte a forma com manteiga e enfarinhe (ou use cacau em pó). Leve para assar em forno médio, a 180oC, por 30 a 40 minutos. Como a temperatura muda muito de forno para forno, sugiro enfiar um palito de dente no centro do brownie já por volta dos 25 minutos. O palito deve sair úmido, mas não molhado (nem seco). Está pronto! Deixe esfriar na forma para depois cortar em pedaços quadrados.

Biscoitos de lavanda

Biscoitos de lavanda

Estou ensaiando há tempos fazer esses biscoitinhos de lavanda. Comprei as flores secas e perfumadas da alfazema (como também é chamada a Lavandula angustifolia) no Mercado da Lapa, em São Paulo.

Para começar, a farinha. Ainda estou restringindo um pouco o glúten na minha dieta, por isso resolvi testar uma receita usando farinha sem glúten (mistura de farinha de arroz com fécula de batata e polvilho doce). Resultado: gostei da experiência. Os biscoitos ficaram douradinhos, derretendo na boca, e a lavanda perfumou a casa toda, mas delicadamente, sem excessos.

Todo o processo de cozinhar me encanta, mas fazer biscoitos é particularmente bom quando estamos com a cabeça pensativa e o coração assustado. Mexer a massa, deixá-la na geladeira, abri-la com o rolo de macarrão, dar o molde preferido com cortadores diferentes e finalmente levá-la para assar ajudam a espairecer as ideias, a encontrar um pouco o eixo. Tente você também.

biscoitos de lavanda e chá

BISCOITOS DE LAVANDA SEM GLÚTEN
300 g de farinha sem glúten
125 g de manteiga sem sal (em temperatura ambiente)
100 g de açúcar
1 ovo batido
1 colher (sopa) de flores secas de lavanda
1 colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
raspinhas de limão (se desejar)

Para fazer a farinha sem glúten, misture 3 partes de farinha de arroz para 1 parte de fécula de batata e 1/2 parte de polvilho doce. Guarde em recipiente fechado e utilize sempre que necessário, para substituir a farinha de trigo. Ao substituir a farinha de trigo por farinha sem glúten, recomendo testar a receita antes, porque elas não têm exatamente as mesmas propriedades, então pode dar diferença na receita.

Para os biscoitos: preaqueça o forno baixo, a 180 graus C. Em uma tigela grande, misture a farinha sem glúten, o açúcar, a lavanda, o fermento e o sal (e as raspinhas de limão, se desejar um sabor mais cítrico). Misture e acrescente a manteiga e o ovo. Mexa bem até formar uma massa firme, que desgrude das mãos. Se necessário, acrescente mais farinha.

Deixe a massa descansar no congelador por 10 minutos, enrolada em filme plástico. Após o descanso, abra a massa sobre uma superfície lisa, usando o rolo de macarrão. Para facilitar o processo, cubra-a com filme plástico e passe o rolo sobre ele (fica mais fácil de abrir). Corte a massa com cortadores diferentes, como círculos, estrelinhas, corações, ou o que preferir. Coloque os biscoitos cortados sobre uma assadeira forrada com papel-manteiga e leve-os para assar no forno preaquecido por 20 minutos, ou até ficarem com as bordinhas douradas.

Se sobrar massa, enrole-a novamente e repita o processo, colocando-a na geladeira se estiver muito mole. Abra, corte e forme os biscoitinhos até não sobrar mais massa. Asse-os em fornadas diferentes, se necessário.

Depois de assados, transfira os biscoitos para uma grelha, para secarem e esfriarem completamente. Guarde-os, depois de bem frios, num pote fechado.

Estes biscoitinhos de lavanda ficam perfumados e delicadamente doces. Recomendo consumi-los com chá. Eu experimentei com Earl Grey e me pareceu uma combinação perfeita.

Cupcakes com glacê real

Cupcakes com glacê real

Cupcakes de massa amanteigada, cobertos com glacê real. Direto da cozinha Guloseima! Foto: Luciana Mastrorosa/Guloseima

Cupcakes de massa amanteigada, cobertos com glacê real. Direto da cozinha Guloseima! Foto: Luciana Mastrorosa/Guloseima

Cupcakes são aqueles bolinhos delicados, em miniatura, cobertos com algum tipo de glacê e decorados com confeitos, flores de açúcar, granulado…

Esta receita é da apresentadora britânica Nigella Lawson, com ligeiras modificações.

CUPCAKES COM GLACÊ REAL
Rendimento: 12 unidades

(receita original de Nigella Lawson, com ligeiras adaptações)

125 g de manteiga sem sal, en pommade (amolecida)
1/2 xícara (chá) de açúcar
3/4 (xícara) de farinha de trigo
2 ovos pequenos e orgânicos
1 colher (chá) de fermento em pó
1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 colher (chá) de essência de baunilha
2 colheres (sopa) de leite
Adicional: forminhas de papel para cupcakes

GLACÊ REAL COR-DE-ROSA
350 g de açúcar de confeiteiro (peneirado)

2 claras de ovos
Suco de 1 limão siciliano

Para fazer a massa, bata todos os ingredientes na batedeira, com exceção do leite. Quando a massa estiver ficando homogênea, vá acrescentando as colheres de leite, sem deixar de bater. A massa fica amarela e brilhante e não deve ter pedacinhos de manteiga sobrando. Por isso é importante que a manteiga esteja amolecida (mas não derretida).

Quando a massa estiver pronta, abra as forminhas de papel e coloque uma colher de sobremesa da massa (rasa) em cada uma delas. Cuidado para não despejar massa demais, ou os bolinhos podem crescer muito e escapar das forminhas.

Leve os cupcakes para assar em forno moderado, pré-aquecido, a 200 graus C, por cerca de 15 a 20 minutos. Quando estiverem dourados e assados, retire do fogo e deixe esfriar.

Enquanto isso, prepare o glacê: bata o açúcar peneirado com as claras de ovo na batedeira até formar uma massa. Vá acrescentando aos poucos o suco de limão, batendo sempre, para que fique um creme espesso e brilhante. Aos poucos, pingue quantas gotas desejar de corante cor-de-rosa (eu usei 16 gotas, porque queria um rosa bem clarinho). Se preferir, pode usar o creme branquinho, sem corante algum.

Quando os cupcakes estiverem frios, cubra cada um deles com o glacê e decore com confeitos coloridos, se desejar. Sirva geladinho.

Dicas extras:

-   Se quiser garantir um formato perfeito para os cupcakes, coloque as forminhas de papel já recheadas de massa em formas de empadinha e leve para assar. Eu não usei as formas de empadinha, e alguns bolinhos vazaram…

- Cupcakes ficam ainda mais bonitos se você encontrar forminhas decoradas de papel. Achei apenas as branquinhas, por isso escolhi caprichar nas estrelinhas coloridas.

- Se não encontrar limão siciliano para a cobertura, ou se estiver muito caro, fique à vontade para substituir por limão galego, que é mais forte e azedinho que o siciliano. Vá experimentando a mistura até chegar ao seu ponto ideal de doçura e acidez.

- Se achar a massa básica demais, sinta-se livre para adicionar raspinhas de limão, pedacinhos de castanhas, granulado.

Fondant au chocolat

Fondant au chocolat

Inauguro aqui os trabalhos na casa nova, a casa própria: Guloseima.net. Para comemorar, escolhi uma receita francesa deliciosa, com muito chocolate. Fácil e simples de fazer, mas requer bons ingredientes: use o melhor chocolate que puder e seu paladar será recompensado.

Fondant au chocolat

FONDANT AU CHOCOLAT
Rendimento: 8 porções

200 g de chocolate meio-amargo (mínimo 60% cacau)
8 quadrados do mesmo chocolate
220 g de manteiga (NÃO pode ser margarina)
160 g de açúcar
120 g de farinha de trigo
4 ovos

Preaqueça o forno a 220oC. Enquanto isso, em banho-maria, derreta o chocolate cuidadosamente, e, quando estiver molinho, acrescente a manteiga e mexa bem até tudo virar um líquido marrom e brilhante.

Assim que estiver tudo derretido, tire do fogo, reserve e deixe esfriar. Enquanto isso, bata os ovos inteiros com o açúcar e vá acrescentando a farinha aos poucos, mexendo bem. Quando o chocolate estiver frio, acrescente à massa misturando com delicadeza.

Leve a mistura a uma forma alta, revestida com teflon, sem untar. Despeje metade da massa, distribua uniformemente os quadradinhos de chocolate, e cubra com o restante da massa. Leve para assar por 15 minutos e, ao tirar do forno, deixe mais 15 minutos descansando, antes de desenformar.

Sirva quente, com sorvete, ou frio, com frutas.

O vinho que acompanha esta sobremesa maravilhosa é um Porto tinto, ou um Banyuls, francês.

Bolo de coco

Bolo de coco

Minha querida Angelina nos oferece uma receitinha doce e caseira para acompanhar o chá de fim de tarde, ou uma reunião de domingo para bater papo com os amigos.

Apesar de não ter a alegria do sol escaldante, o outono merece ser celebrado com mimos e carinhos, como recebemos alguém realmente querido.

Bolo de coco

BOLO DE COCO DA GÊ
6 ovos inteiros
2 xícaras (chá) de açúcar
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
4 colheres (sopa) de óleo
200 ml de água quente

Leve à batedeira os ovos inteiros com o açúcar. Bata bem até formar uma mistura homogênea. Misture o fermento com a farinha de trigo e junte ao creme feito com ovos e açúcar. Misture tudo muito bem, utilizando um fouet (aquele batedor bonitinho).

Acrescente a água quente e mexa com cuidado. Adicione o óleo e mexa para finalizar.

Leve para assar em uma forma untada e enfarinhada em forno médio. O forno deve estar pré-aquecido. Asse por aproximadamente 35 minutos ou até fazer aquele teste com o palitinho no meio da massa: se sair sequinho, o bolo está pronto!

Quando o bolo estiver cheiroso e assado, espere esfriar. Quando frio, corte ao meio e umedeça a parte de baixo da massa com leite de coco e uma calda leve de açúcar. Pouco, para não deixar molenga.

Recheie com uma boa dose de doce de leite (ou leite condensado cozido na panela de pressão, por 50 minutos).

Coloque a outra parte do bolo e cubra com chantilly, batido na hora. Para finalizar e deixar bonito, coloque um pouco de coco fresco ralado por cima de tudo.

Com chá e café, é o ingrediente que faltava para deixar sua tarde um pouco mais doce.

Crôstoli

Crôstoli

Até os vinte e poucos anos, nunca tinha mudado de casa. O que é, claro, uma experiência sempre renovadora. Uma experiência, aliás, que enriquece, ainda que seja um pouquinho, digamos, dolorida. Para quem fica, para quem vai. Mas é bom mudar. Por isso estamos de casa nova, com novas paredes, uma bonita toalha xadrez e um monte de histórias pra contar!

Para começar este novo capítulo, nada melhor do que botar a mão na massa, literalmente, fazendo… crôstolis!

crostoli_dez2006

Crôstolis são biscoitos bastante politicamente incorretos, para os dias atuais, porque levam açúcar, ovos, e são fritos, fritinhos, em óleo bem quente. Ah! E são regados com mel. Com muito mel!

Pode parecer ingrediente demais, caloria demais, perto das alfaces e tomates e filés de frango de todos os dias (que eu também adoro, aliás). Mas dão uma sensação boa de conforto, aconchego e carinho.

Uma receita de família, que passou de bisavó, para avó, para mãe, para filha.

E agora, de casa nova, ofereço um chá e uma porção de crôstolis, que precisam ser preparados como se deve: com a casa cheia!

Sejam bem-vindos, sempre. E vamos à massa!

CRÔSTOLI DA MAMMA DALVA
4 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (sobremesa) de fermento em pó
4 colheres (sopa) bem cheias de açúcar
2 ovos inteiros
2 colheres (sopa) de manteiga ou margarina
1/2 xícara (chá) de leite frio
óleo para fritar
mel ou açúcar mascavo para a cobertura

Peneire a farinha de trigo, o açúcar e o fermento, juntos. Acrescente os outros ingredientes, menos o mel ou o açúcar mascavo (são para a cobertura). Mexa, mexa e mexa. Quando a massa estiver durinha, despeje mais farinha na mesa (dois punhados) e ponha a massa em cima, sovando bem. Sovar é apertar a massa, com jeito, até que ela vá ficando leve e delicada, sem grudar nas mãos. Se precisar, jogue mais farinha sobre a mesa, e sove a massa até ficar uma bolona bonita e macia.

Quando estiver nesse ponto, corte um pedaço pequeno da massa, abra com o rolo de macarrão e corte tiras de mais ou menos 4 cm de largura, ou como sua imaginação mandar.

Agora entra a mágica: para cada tira de massa, você deve fazer um pequeno cortinho com a faca e, zupt!, enfiar uma das pontas por dentro do cortinho, fazendo uma dobrinha simpática que, creia-me, vai ficar deliciosa quando frita e embebida em mel.

Repita o processo com toda a massa. Se preferir, faça bolinhas, mas não é tão divertido.

Tudo pronto? Aqueça o óleo até começar a levantar bolhinhas. Despeje as massinhas delicadas dentro do óleo e frite, uma a uma, até ficarem douradinhas. Deixe um prato grande com muito papel-toalha para absorver o excesso de gordura dos crôstolis. Quando todos estiverem fritos e devidamente sequinhos, coloque numa forma bonita e despeje mel ou açúcar mascavo a gosto.

E sirva com café, chá e beijos.

Todos os direitos reservados © Guloseima 2015 – Tema por Lanika.net + Carolina Y