Missão cumprida!

Acabo de chegar em casa, depois de um compromisso muito interessante: dei aula de jornalismo gastronômico online para a primeira turma do curso de Jornalismo Gastronômico do Senac.

Foram mais de 3 horas de conversa boa, com uma turma super atenta e participativa. Adorei!

Espero que eles tenham curtido também, e que se animem a escrever mais sobre a gastronomia, este assunto delicioso que sempre rende discussões ótimas e apaixonadas.

🙂

(E sempre que vou ao Senac Santo Amaro me dou conta de como aquele campus é lindo! Fosse um pouquinho só mais acessível, seria perfeito. Mas, ainda assim, é um lugar muito agradável. Chegar lá depois de enfrentar a chuva e o caos no transporte público hoje foi como chegar ao oásis. E valeu a pena o esforço. Muito!)

Por que escrever um blog de comida?

Engraçado como a vida dá voltas. Comecei a escrever este texto na metade de janeiro deste ano, pensando que, em abril, o Guloseima vai fazer 3 anos de vida. Não podia prever que, em poucos dias, minha vida mudaria completamente.

Tenho pensado, vivido e respirado blogs há algum tempo, desde o dia em que ouvi a palavra “blog” pela primeira vez, nos idos de 2002, quando criei meu primeiro exemplar, o Chá Dançante. O Chá era uma mistura de textos, impressões, amores e chateações variadas, e morreu em 2004, quando parei de atualizá-lo.

Em abril de 2006, às vésperas de fazer uma viagem a Paris, em lua-de-mel, decidi que queria ter novamente um blog, mas agora com um novo enfoque: a gastronomia. Foi assim que surgiu o Guloseima em sua primeira versão,  no UOL, ainda tímido, mas já bem-disposto. Algum tempo depois, fui convidada a participar do portal Interney, onde fiquei até setembro do ano passado, quando decidi migrar para cá, porque era gerente de produto dos Blogs Abril.

Mas, como eu disse lá no começo, a vida dá voltas, e agora eu não gerencio mais os Blogs Abril, e estou redescobrindo o prazer puro e simples de escrever um blog, o meu blog querido de comidas e receitas. E estou gostando tanto disso que meus planos agora envolvem escrever sobre gastronomia, culinária e afins. Vamos ver onde isso vai dar…

E por quê? Porque eu adoro cozinhar, eu adoro escrever, e acho justo comigo mesma treinar essas habilidades e repartir com os meus leitores queridos.

Às vezes a vida traz coisas que você não quer, como sair de um emprego querido. Porém, nesses momentos de incerteza, instabilidade e crise, é que podem nascer e florescer nossas verdadeiras vocações. É isso o que eu busco agora: mergulhar cada vez mais no universo da gastronomia, testar sempre coisas novas, sabores, cores, cheiros, receitas. Não há limite para a criatividade humana, ainda bem. Não há mal que dure eternamente. Ainda bem.

É com esse espírito que eu retomo minhas escritas diárias (ou quase) aqui no Guloseima, que sempre me trouxe tanto amor, tantas oportunidades boas, tantos momentos felizes.

Como naquela música da Violeta Parra, agradeço à vida, por ter me dado tanto até agora. E peço que os deuses sejam gentis comigo, e me permitam encontrar um caminho, o meu caminho.

“Gracias a la vida, que me ha dado tanto.”

O novo livro de Heloisa Bacellar

Sou viciada em livros e agora, especialmente, os de culinária e gastronomia. Comprei ontem o meu primeiro livro do ano, o excelente Entre panelas e tigelas, a aventura continua. A autora é a doce Heloisa Bacellar, que já havia me encantado antes com sua prosa descontraída e receitas apetitosas no Cozinhando para amigos.

Já tinha recebido um release comentando sobre o lançamento, mas me decidi a comprar o volume quando li a matéria do caderno Paladar, do Estadão, sobre o livro. Fiquei completamente encantada pela cozinha de Heloisa Bacellar!

Descobri que ela também adora galinhas (como eu, que tenho uma queda pela galinhas d’angola, tão lindas!), que tem uma biblioteca gastronômica invejável e, que todas as fotos do livro contaram com os lindos e preciosos utensílios de sua cozinha.

Ou seja: além de escrever bem e criar receitas deliciosas, Heloisa ainda tem bom gosto para garimpar objetos de tudo quanto é tipo para sua cozinha. Adoro, né?

Destaque especial e menção honrosa para o capítulo “Guloseimas de Paris” que é, para quem me conhece, praticamente uma homenagem a mim :D. Paris e guloseimas juntos? Obrigada, Helô! Brincadeiras à parte, o livro é realmente um achado e não fica devendo em nada para o Cozinhando para amigos.

E as fotos também merecem elogios: Rômulo Fialdini mandou muito bem, e só valorizou ainda mais a receitas de Heloisa!

Na foto abaixo, a chef (que é advogada, de formação, e sempre amou cozinhar) posa junto aos seus belos utensílios de
cozinha. Heloisa Bacellar é formada pelo Le Cordon Bleu, de Paris. Mais um desses sonhos que eu ainda hei de realizar! 🙂

“Entre panelas e tigelas, a aventura continua”
Heloisa Bacellar, com fotos de Rômulo Fialdini
Preço sugerido: R$ 175.
428 páginas, 319 receitas e mais de 350 fotos!
Editora DBA

Fim da jornada

E hoje, amigos, termina, depois de um ano de muitas conquistas e aprendizados, o incrível curso de chef de cozinha que comecei em fevereiro, na Escola Wilma Kovesi.

A última aula é de “cozinha de criação”: os alunos poderão criar o prato que desejarem, a partir dos ingredientes fornecidos pela escola. Ou seja: vai ser uma grande festa!

Para incrementar, vamos levar bebidas para acompanhar os pratos. Não faço idéia do que vai ter de ingrediente, o que sempre dá uma certa insegurança. Mas a idéia é mesmo de festa, diversão e, claro, aplicação dos conhecimentos aprendidos.

Já bateu uma saudade, logo cedo… Até sonhei com a última aula! Mas não é momento de ficar triste, não, mas de celebrar. Porque foi um curso (e um ano) muito, muito bom.

Presentes de aniversário

No dia 12 de novembro eu completei 30 anos e entrei para o fabuloso universo das balzaquianas… Para me agradar em minha nova “fase” da vida, meus amigos adoráveis me presentearam com coisas incríveis, em sua maioria com temática gastronômica. Adorei, naturalmente. E muito!

Um dos presentes mais especiais foi uma bolsa linda de pano com delícias do mundo todo: flor de sal francesa em três versões, mostarda Dijon (amo muito!), geléias, óleo de gergelim, Nutella e até uma latinha de harissa, um condimento árabe perfeito para aromatizar o caldo do cuscuz marroquino. Obrigada, Carla e Lello! :)) Pensando nos prazeres da carne, o casal incluiu também um livrinho com milhares de dicas para enlouquecer um homem na cama. Ai, Jesuis! Será que já estou precisando disso??

Meu marido, menos ousado, me presenteou com o maravilhoso livro Chefs: segredos e receitas – para reforçar, com lindas fotos, todas as técnicas culinárias que aprendi ao longo do ano no curso de chef da Escola Wilma Kovësi de Cozinha.

Dos queridos amigos do curso, Kátia e David, ganhei um livro maravilhoso com receitas de “pequenos almoços”, do Le Cordon Bleu, e um cd da Diana Krall para embalar os bons momentos na cozinha.

Do André, veio A Itália de Jamie, e de Rafael e Daniele, o ótimo A rainha que virou pizza. Ricardo a Ana Lia me brindaram com uma linda garrafa de azeite fresquinho, que a família dela produz lá em Portugal.

Para finalizar, mi maridón se compadeceu e me deu também um notebook novinho e cor-de-rosa, para combinar bem comigo e facilitar minha vida virtual.

Agora eu bem precisaria de férias, uns bons meses de descanso, para botar toda essa leitura em dia… E escrever todos os comentários aqui, depois!

Mas, que nada! O Natal está logo aí, o curso está no fim… Tenho muito o que cozinhar.